Página Inicial Lista de Vídeos Quem Somos? Fale Conosco Redes Sociais

O ARX Blog fez uma varredura nos recursos dos três apps de mensagem mais usados no mundo. Leia a matéria completa e decida qual seu preferido.

O Whatsapp é, sem dúvida nenhuma, o mais popular entre os três apps. Isso se deve à facilidade em utilizá-lo e não ter necessidade de criar conta. É possível ter apenas usando o número de celular, e com isso, ele sincroniza todos os contatos do seu telefone.


No Whatsapp é possível enviar mensagens de texto, audio, fotos e vídeos. Compartilhar documentos, contatos e até a sua localização em tempo real


Além disso é possível compartilhar um status, que fica disponível por 24hs para seus contatos e após este tempo, o status desaparece permanentemente. É possível também fazer chamadas de voz e vídeo sem gastar créditos, utilizando somente os dados móveis ou a wifi.

O Whatsapp é constantemente atualizado, e as mensagens trocadas entre os usuários são totalmente criptografadas e os usuários podem apagar as mensagens enviadas por engano antes que o destinatário errado a leia. 

O Facebook Messenger é uma ferramenta da rede social de Mark Zuckerberg. Pra quem já tem perfil no Facebook, basta logar com email e senha e pronto. 


Os amigos são automaticamente sincronizados, e é possível também compartilhar mensagens de textos, vídeos, fotos, documentos e compartilhamento de locais. Assim como o Whatsapp, o Messenger também possui status temporário. Uma ferramenta diferencial deste app são as mascaras da câmera. 
O usuário liga a câmera para tirar uma foto, escolhe o filtro ou a máscara, e o app rastreia o rosto para ajustá-la. Elas podem ser usadas tanto na hora de mandar um vídeo e uma foto, quanto na hora da chamada de vídeo, recurso também encontrado no Messenger.

O Telegram é voltado para usuários mais ligados em segurança digital. Além da criptografia de ponta a ponta, como a do Whatsapp, no Telegram, o usuário consegue definir padrões de uso do app para que as mensagens sejam "auto-destruídas" dentro de determinado tempo. 


Como nos dois apps citados anteriormente, também é possível enviar fotos, documentos e vídeos. Um outro diferencial deste app é a possibilidade de adicionar até 3 contas diferentes e poder usá-las simultaneamente. Isso possibilita por exemplo separar as mensagens sobre trabalho de mensagens pessoais, sem necessidade de sair da conta pessoal para usar a do trabalho e vice-versa. 
O Whatsapp e o Messenger por enquanto ainda não disponibilizam esta função.

Além disso, o telegram possui os canais públicos para disseminação de mensagens e uma versão desktop independente do celular.

E ai? Conta pra gente qual app você acha mais interessante? Deixe seus comentários usando o facebook na parte inferior da postagem.


Siga nossas redes sociais!

Instagram








O Instagram lançou no dia 20, uma plataforma dedicada exclusivamente a vídeos mais longos, com até uma hora de duração, que promete competir com o YouTube por usuários nas redes sociais.

Batizada de IGTV, a plataforma, a exemplo do YouTube, terá aplicativo próprio tanto para Android quanto para iOS. A ferramenta permite que usuários excedam o limite atual de 60 segundos dos vídeos e postem conteúdo também pelo desktop do computador.

Ainda não está claro, contudo, se os vídeos do IGTV vão incluir propagandas ou permitir a monetização, como no principal concorrente.

Em uma entrevista exclusiva à BBC News, o fundador e CEO do Instagram, Kevin Systrom, não descartou a possibilidade, mas disse que "não há pressa para definir isso".

No IGTV, os vídeos serão na vertical e o Instagram diz que esse é o "jeito natural" que as pessoas usam os celulares. O YouTube, por sua vez, aceita vídeos tanto na vertical quanto na horizontal.

"O vídeo merece um lar melhor no celular", provocou Systrom.

Para o especialista em tecnologia Alex Brinnand, da revista TenEighty, o IGTV pode fortalecer o Instagram no mercado das redes sociais - em 2012, a plataforma foi comprada pelo Facebook por US$ 1 bilhão.

"Ainda vamos ver o poder que o Instagram tem. Tenho certeza que há muitas discussões acontecendo nas outras plataformas sobre quanto (o IGTV) pode ser uma ameaça (à concorrência)", observou.

A possibilidade de divulgar vídeos longos é vista como uma inovação, uma vez que o Instagram permite apenas vídeos de 60 segundos na timeline e de 15 segundos no "insta stories" - ferramenta que derrubou o concorrente Snapchat.

A novidade terá integração com o Facebook Watch, serviço de vídeo sob demanda lançado no ano passado.

Acesso gradual

A nova plataforma vai ter um aplicativo independente - que ainda não está disponível para ser baixado -, mas já pode ser acessada pelo próprio Instagram. Um ícone de uma televisão com um raio na horizontal aparece ao lado do ícone de mensagens in-box no Instagram.

Systrom disse à BBC News que pretende mudar como as pessoas fazem e assistem a vídeos, eliminando televisões e telas de computadores.

"Todos os nossos dados mostram que as pessoas estão passando cada vez menos tempo na frente da televisão, mas gastam mais tempo nos celulares", disse.

Systrom diz que sente "a responsabilidade" de trazer essas mudanças para o Instagram.

O IGTV possui quatro abas principais: "Para você (For You)", com sugestões que levam em conta o que o usuário curte e contas que segue; "Seguindo" (Following), com o conteúdo dos canais que a pessoa segue; "Populares" (Popular), que traz conteúdo em alta entre todos os usuários; e, finalmente, "Continuar assistindo" (Continue Watching), que apresenta o histórico de visualizações.

Como o IGTV funciona?
Até o momento, o Instagram só permite postagens pelo celular.

Essa é uma das grandes diferenças do IGTV, onde será possível subir um vídeo por meio do desktop e clipes vão ganhar um link único.

Cada usuário vai ter seu próprio canal, algo similar ao YouTube, onde os vídeos ficam armazenados.

Se o usuário já tem uma conta do Instagram, vai ganhar um canal quando atualizar o aplicativo.

Questionado sobre as inevitáveis comparações com o YouTube, Systrom disse que os vídeos no IGTV seriam "mais envolventes e talvez mais emocionais".

Haverá controle no IGTV?
Como todo conteúdo no Instagram, o IGTV tem regras.

As diretrizes explicam que o usuário não deve publicar conteúdo violento, de nudez, discriminatório ou de ódio. Kevin Systrom admitiu à BBC News que nem todo vídeo será aprovado pela empresa antes de ser enviado.

"Queremos garantir que o Instagram seja uma plataforma segura, acolhedora e gentil para todos", disse.

No começo do ano, o YouTube teve de pedir desculpas por não reagir rápido o suficiente quando um de seus astros, Logan Paul, enviou um vídeo mostrando o corpo de um homem que se matou em uma floresta no Japão.

Na ocasião, a diretora de negócios do YouTube disse à BBC News que não achava que a plataforma deveria ser regulada da mesma forma que emissoras tradicionais.

Systrom diz que é difícil especular como o IGTV será monitorado. "Vamos ver como o produto conquista os consumidores e garantir que seja seguro e justo."






Siga nossas redes sociais!

Instagram








Não é preciso de televisão para acompanhar os jogos da copa hoje em dia. A tecnologia traz outras formas de contemplar nossa seleção sem sair de casa e sem precisar da televisão, porém, algumas dessas alternativas  podem trazer prejuízos ao seu celular, computador ou tablet. Confira agora 5 dicas para acompanhar os jogos na internet COM SEGURANÇA!

1. Assista aos jogos nos sites oficiais das emissoras que transmitem a Copa. 
Ok, é verdade: há muitos sites de streaming piratas por aí, e acessá-los pode ser até mais cômodo. Mas isso não muda o fato de que essas páginas pouco se importam com a segurança de quem assiste. Banners que direcionam para páginas maliciosas, pop-ups invasivos e ofertas não muito confiáveis não são incomuns, como lembrou Rory O’Connor, vice-presidente sênior de segurança cibernética da Irdeto, uma empresa que combate esse tipo de site.

Se você não conhece as soluções de streaming oficiais, nós falamos delas aqui. A lista tem a opção gratuita, o Globoplay, e outras pagas, como a Fox Play e a Globosat Play.

2. Desconfie também dos sites que parecem legítimos. 
Te mandaram o link para o streaming do jogo no site de uma das emissoras? Antes de seguir em frente e clicar, confira se o endereço é o correto, e não uma versão levemente editada, com um zero no lugar da letra “o” ou coisa parecida. A dica vem da Soluti, empresa especializada em certificação digital.

Caso você tenha recebido uma URL encurtada, peça a completa – ou procure no Google mesmo, para ter certeza de que você está indo ao lugar certo. É bom ficar esperto mesmo se o endereço tiver HTTPS, indicado pelo cadeado verde na barra de endereço. Costuma ser sinal de segurança, mas não é tão difícil arrumar um certificado falso para isso hoje em dia. Por isso, também é bom clicar no icone e checar quem emitiu a aprovação.

3. Fique atento a e-mails e mensagens de promoções e campanhas da Copa. 
Ataques com ofertas falsas, de phishing, costumam crescer em datas especiais e no mundial não é diferente. Por isso, não deixe de seguir aquela regra de sempre: desconfie de e-mails e mensagens com promoções boas demais para ser verdade e de campanhas relacionadas à Copa, mesmo que o remetente seja aparentemente confiável.

A dica vale para ofertas de eletrônicos, promoções de passagens e ingressos (caso você já esteja pensando em 2022) e até para outras coisas mais inusitadas. Em 2014, cibercriminosos criaram um abaixo-assinado para pedir a volta de Luís Suárez ao mundial – mas não passava de um site para colher dados das pessoas.

4. Não informe seus dados em qualquer site. 
Essa é uma continuação das duas dicas anteriores. Clicou no link que você recebeu por e-mail ou WhatsApp? Antes de informar seus dados ali, confira se a página é legítima. Caso o endereço tenha um cadeado, clique nele, confira as informações para saber quem emitiu o certificado. Desconfie bastante – e fuja – caso o site não seja confiável e ainda esteja pedindo dados demais e informações sensíveis, como senhas, RG, CPF e números de cartão.

5. Cuidado com as redes públicas de Wi-Fi. 
Quer fazer streaming de um jogo, mas sem torrar todo o seu pacote de 4G? Use um Wi-Fi, mas sempre tomando cuidado. Não confie em redes totalmente abertas, evite acessar sites com senhas (especialmente bancos) e desative o compartilhamento de arquivos via rede caso esteja no notebook. 



Siga nossas redes sociais!

Instagram








Às vésperas da Copa do Mundo 2018, o Google anunciou uma reformulação na sua plataforma de buscas ao adicionar recursos para ajudar usuários acompanhar os jogos do campeonato. Em ano de eleição, a empresa revelou ainda uma parceria com o Tribunal Superior Eleitoral para exibir informações importantes sobre os 7 mil candidatos às cinco esferas de poder que têm pleito marcado para o segundo semestre.

Para as eleições 2018, as novidades podem ser úteis para ajudar os eleitores indecisos a encontrar informações rapidamente sobre os candidatos nos quais consideram votar. As prioridades dos mandatos serão exibidas em cartões nos resultados de pesquisa para que não seja sequer necessário acessar sites para receber os dados sobre candidatos.

A empresa anunciou ainda uma parceria com a emissora de TV Band para exibir o primeiro debate presidencial no YouTube.
As novidades do Google para a Copa do Mundo permeiam seus aplicativos. O buscador terá fotos e jogadas importantes dos principais jogos do torneio. Fora isso, resultados e estatísticas seguem disponíveis nos resultados de buscas relacionados com a Copa. No Maps, os usuários poderão ver quais bares e restaurantes estão exibindo os jogos em 13 cidades da América Latina. O terceiro recurso é para usuários de smartphones com sistema Android, que é mantido pelo Google. Um widget, acessório virtual, poderá ser fixado na tela inicial para acompanhar resultados de jogos sem precisar fazer nenhuma busca.

O Google Street View, serviço gratuito que tem um registro fotográfico em 360 graus de diversas localidades do planeta, vai permitir uma turnê por dentro dos estádios da Copa para que os internautas possam, mesmo à distância, ver como são as instalações onde acontecerão os jogos.

Por fim, o Google Assistente, o assistente pessoal da empresa (parecido com a Siri, do iPhone), poderá responder a perguntas relacionadas à Copa do Mundo.



Siga nossas redes sociais!

Instagram






A postagem hoje é de grande utilidade para os usuários do maior stream de filmes e séries do mundo, a Netflix. Existem formas e ferramentas para maximizar a experiência ao utilizar esta plataforma de mídia visual. Leia com atenção e escreva um comentário no fim da postagem se você conhece alguma outra ferramenta!!

1. Procure por categorias específicas
Se você está cansado de ver a Netflix sugerir sempre os mesmos programas para você, é só porque ela está seguindo as recomendações através de um algoritmo bastante específico. Você pode mudar isso e assistir exatamente o que esteja querendo, seja cinema francês ou filmes infantis que sejam baseados em livros, para incentivar aquele sobrinho a ler. É só usar um dos códigos de categorias ocultas da plataforma (você pode ver os principais que funcionam no Brasil aqui).

Uma vez tendo escolhido o código, é só inserir na URL o seu navegador, substituindo a palavra CÓDIGO pelo código da categoria que você quer ver: https://www.netflix.com/browse/genre/CÓDIGO. Observe o exemplo na imagem abaixo:



Se você não quer ter o trabalho de checar a tabela o tempo todo, também dá pra baixar a extensão Find Flix, que permite que você navegue por categorias bem específicas, ou ainda procure digitando o que vier à mente. Infelizmente, só funciona em inglês.

2. Veja uma lista livre de originais da Netflix
Não é segredo pra ninguém que a plataforma tem uma ótima produção de séries e filmes originais, que talvez sejam o principal motivo de você assinar o plano. Mas se há dias em que você quer ver qualquer coisa que NÃO seja produzido pela Netflix, você pode. É só baixar a extensão No Netflix Originals, que tira os originais da sua página inicial quando ativada, facilitando sua escolha.

3. Baixe uma extensão para melhorar a qualidade do vídeo
A Netflix regula a qualidade do seu vídeo de acordo com a qualidade da sua internet, mas você não precisa ficar preso a isso. Seja porque está em casa e merece ver um filminho em boa qualidade, seja porque quer economizar seu pacote de dados, você pode ajustar isso com a ajuda de alguma extensão para o navegador. Para o Google Chrome, por exemplo, existe a Super Netflix. Essa extensão permite que você ajuste não só a qualidade do vídeo, mas também a cor, brilho, contraste e saturação da programação.


Além disso, a Super Netflix pode borrar coisas que possam ser spoilers, como a descrição de episódios de uma série ou a imagem que acompanha o episódio. Outra ferramenta bastante interessante é que a extensão permite que você acelere um pouco o vídeo (se você não curte tanto filmes paradões) ou o atrase — o que pode ser bastante útil se você está tentando aprender uma língua nova, por exemplo. Ele também permite que você SEMPRE pule as aberturas e adicione suas próprias legendas, que você pode baixar em outros sites e inserir na plataforma.

Em português, uma extensão semelhante é a Magic Actions, que também inclui avaliações de outros sites (IMDB e Rotten Tomatoes).

4. Desative o botão de "você ainda está assistindo?"
Imagine você sentado no sofá, há horas confortavelmente maratonando uma série. E então, a Netflix insiste em ter certeza do que você está vivo, perguntando se você ainda está assistindo? A extensão The Never Ending Netflix desativa isso, permitindo que você pule direto todas as aberturas (e títulos) e pule direto para o próximo episódio.

5. Customize sua Netflix
Outra ferramenta interessantíssima é a extensão Flix Plus. Com ela, você pode colocar a "Minha Lista" no topo da página inicial; além de permitir que você deixe recados nos títulos, seja para lembrar quando a série vai sair da plataforma ou quem recomendou e porquê. Outra ferramenta interessante é que ela muda os ícones das séries que você já viu, deixando-os acinzentados, para facilitar a escolha. Ela também tem opções básicas, como borrar descrições e impedir a página de encolher quando chega a hora dos créditos.


6. Assista sozinho, mas acompanhado!
Se você quer assistir aquele filminho romântico acompanhado, mas a companhia está longe, não tem problema. Com a extensão Neflix Party, isso pode acontecer! Uma vez instalada, a extensão permite que você crie um link compartilhável do que estiver assistindo. Quem tiver acesso ao link pode clicar e assistir exatamente o que você vê na tela, perfeitamente sincronizado. Tem inclusive uma opção de chat, caso você queira comentar algo diretamente na tela.

Para celulares, existe a plataforma Rabbit, que permite sincronizar vídeos com seus amigos, seja na Netflix, no Youtube ou outra plataforma.

7. Mude de navegador para melhorar a qualidade
Você provavelmente tem o seu navegador queridinho, e ele provavelmente é o Google Chrome ou o Mozilla Firefox. Mas, se você não está querendo baixar nenhuma extensão para melhorar a qualidade do seu vídeo, eles podem não ser a melhor opção. Isso porque eles (e o Opera) soltam vídeos numa resolução de 720 pixels, automaticamente.

Por outro lado, o Safari, o Explorer e o Edge funcionam bem com 1080 pixels. Claro que não vai ser nenhum milagre se sua internet não estiver muito boa, mas pode quebrar um galho sem que você tenha que baixar nada.

8. Escolha filmes de um ano específico
A Netflix, sem extensão nenhuma, permite que você escolha quais filmes assistir a partir da data de lançamento. É bem simples: basta entrar na sua conta e ir para qualquer categoria (terror, drama, comédia, etc). Então, no canto direito, procure por um quadrado com quatro pontos: ele vai expandir a opção "Sugestões para Você". Além da ordem cronológica, a Netflix também apresenta ordem alfabética (normal ou reversa). Dá pra ver TODOS os filmes do catálogo assim.


9. Adicione avaliações que não são da Netflix
A Netflix permite que usuários avaliem os filmes e séries vistos, com sinais de positivo (joinha) e negativo (dedão para baixo). Mas se você preferir outras avaliações, a extensão RateFlix mostra pra você. Com ela, avaliações de outros sites (como IMDB, RottenTomatoes e Metacritic) aparecem junto da descrição.

10. Assista antes que saia do catálogo!
Uma coisa que incomoda muito os usuários é ver que um filme ou série favoria está saindo do catálogo. Não é bem culpa da Netflix: eles compram o direito de reproduzir essas produções, mas o contrato acaba e a distribuidora pode escolher não renovar — ou então, pode simplesmente não valer a pena.


Pensando nisso, existe a extensão Super Browse, que permite que você veja o que está para expirar, antes que seja tarde demais. Além disso, a ferramenta permite que você veja várias categorias, mesmo as mais incomuns.

11. "Gire" a Netflix
Se você costuma virar seu notebook de lado para assistir às suas séries mais confortavelmente, não precisa mais pôr seu aparelho em risco. É só baixar a extensão Netflix Flip, que permite que você gire a tela até 90 graus, ajustando como preferir.

12. Assistindo à Netflix enquanto trabalha
Criaram uma ferramenta para facilitar assistir programas no trabalho! Não que você faça isso, é claro. Mas se quiser saber, só por curiosidade, é só usar o navegador Helium (disponível apenas para Mac). Ele mantém uma janela transparente "flutuando" enquanto executa o vídeo. Então, mesmo que você abra e feche janelas, a janela do Helium ainda estará lá se você clicar nela, mas sem interagir com o resto.


13. Teste as coisas antes de todo mundo
A Netflix permite que você teste atualizações — novas interfaces, sistemas de avaliação e trailers — antes que elas apareçam para todos os usuários. Se quiser tentar, é só deixar a Netflix saber disso! No canto superior direito, ao lado do ícone, clique na setinha e então em "Conta". Quando abrir, procure por "Configurações", e depois "Participação em Testes". É só clicar no botão de ativar!

14. Limpe as sugestões de "Continue Assistindo"
As opções de "Continue Assistindo" sugerem tudo que você começou a assistir e depois largou. É claro que é útil no caso de uma série, ou de um filme que você começou a assistir mas acabou precisando pausar. Entretanto, a opção ignora que às vezes você parou de assistir algo porque é simplesmente ruim. Mas você pode acabar isso e se livrar das sugestões inúteis! É só ir em "Conta" e procurar por "Meus Perfis". Selecione e procure por "Minha Atividade". Então, é só clicar no X e remover o que quiser.


A opção também é útil para o caso de você querer apagar alguma coisa que viu até o final. Se você emprestou a conta para um amigo e quer que a Netflix pare de recomendar filmes com o Adam Sandler só porque ele maratonou The Ranch, é possível apagar os episódios e impedir sugestões baseadas nisso.

15. Assista em Ultra HD
Se você está está em busca de um mimo para acompanhar seus filmes, por que não assistir sua programação em Ultra HD? A Netflix permite que você assista em resolução 4K (2160 pixels)! Não é toda a programação: basicamente, são as produções mais recentes — o que significa pelo menos 200 títulos. Mas para isso, você precisa de uma internet de alta velocidade (ao menos 25 MB/s) e o plano Premium (R$ 37,99). Se achar que vale a pena, você vai poder procurar especificamente por "UltraHD" na barra de pesquisa, e então todos os títulos nessa qualidade aparecerão.

16. Você pode sugerir filmes para a Netflix
Sabemos que aqui no Brasil a variedade do catálogo não é tão grande quando nos Estados Unidos, por exemplo. Mas existe uma opção de sugerir filmes e séries para a Netflix adquirir. Não é certeza que eles vão colocar no catálogo, mas não custa tentar, né? É só clicar AQUI e preencher a ficha.

17. Sincronize suas plataformas de streaming
Outra extensão útil para a Netflix é a Simkl. Ela permite que você veja as avaliações da programação segundo diversos sites externos (como o IMDB), inclusive a porcentagem de pessoas que desistiram de assistir na metade do filme (a chamada "drop-off rate"). Ela também sincroniza com outras plataformas de streaming, o que significa que você pode acompanhar mais facilmente o que estiver assistindo. Infelizmente, algumas ferramentas podem ser pagas.

18. Crie perfis para eventos específicos
A essa altura do campeonato, você já deve saber que pode adicionar até cinco perfis na sua conta da Netflix, para amigos e familiares. Mas se você não planeja dividir sua senha com ninguém, você pode criar perfis para eventos específicos. Planejando uma maratona Halloween? Sem problemas! Uma vez selecionados alguns filmes, o algoritmo vai calcular suas sugestões se baseando neles.


Aliás, Netflix, por que não temos opção de criar mais de uma "Minha Lista"? Fica a dica para a próxima atualização.

19. Bloqueie conteúdo adulto
O perfil "Crianças" (ou KIDS) não serve só para selecionar programação infantil. Você pode adicionar um código PIN nos outros perfis, para que as crianças não vejam conteúdo que não seja adequado para a idade delas. É só ir em "Conta", "Configurações" e então em "Controle dos Pais". Lá, você pode selecionar a classificação indicativa para os perfis e evitar que as crianças acabem assistindo Disjointed por engano.

20. Veja filmes em qualquer lugar
Infelizmente, não temos o melhor transporte público do mundo — e você pode acabar passando horas no trânsito. Se não quiser acabar com o seu pacote de dados, é só baixar o que quiser no seu celular ou tablet (Android, iOS ou Windows 10) quando estiver no Wi-Fi e deixar para assistir depois. Não é toda a programação que está disponível para isso, mas ainda assim é uma boa quantidade. E não se preocupe com espaço: eles se apagam sozinhos depois de um tempo, então é impossível lotar a memória com filmes que você nunca vai ver.

<


Siga nossas redes sociais!

Instagram






Os cibercriminosos brasileiros já surfam na onda da greve dos caminhoneiros. Utilizando uma combinação de tema e timming, os criminosos estão enviando links maliciosos que enganam vítimas no WhatsApp ao indicar postos de gasolina com combustível.

"Na mensagem, a vítima recebe um link malicioso, na esperança de encontrar uma lista de postos de gasolina em que o combustível ainda estaria disponível. Em menos de 24 horas, mais de 60 mil usuários acessaram a página falsa e foram expostos a ciberataques que podem variar de acordo com o sistema operacional do smartphone", nota a Kaspersky.

Ao acessar o link, o usuário é redirecionado para uma página fraudulenta e, para acessar a falsa lista com os nomes dos postos que ainda tem combustível, solicita a cidade e estado em que a vítima se encontra. Além disso, a vítima cai em sites que oferecem serviços pagos. Ou seja: ela acaba gerando renda para os cibercriminosos por meio de propagandas e instalação de apps.


"É a mesma tática de golpes anteriores que utiliza um tema de grande interesse da população, só que em um momento crítico de uma greve", afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab. "O criminoso ganha de muitas formas: pelos milhares de page-views no site cheio de propaganda, pela instalação dos aplicativos sugeridos pela página, num esquema de pay-per-install ou até mesmo com a oferta de instalação de apps maliciosos, como já vimos anteriormente".


Siga nossas redes sociais!

Instagram






Quantas vezes você saca o celular do bolso só para checar novos e-mails ou a mensagem que acabou de vibrar? Um estudo feito em 2015 pela empresa Deloitte mostrou que pelo menos 40% dos usuários de celulares olham seus aparelhos nos primeiros cinco minutos após acordar e 47% usam os smartphones enquanto “conversam” pessoalmente com familiares e amigos.

Atualmente, é quase impossível encontrar um local público sem pelo menos uma pessoa distraída no celular. O vício em tecnologia é real e em alguns países até existem grupos de terapia para tentar superar essa dependência. Por isso, separamos dicas e técnicas para quem precisa diminuir o consumo e a obsessão pelas telas:

1 - Elimine momentos de ócio
Quando não temos nada para fazer, podemos ter a mania de passar o tempo no celular. Em entrevista ao Mental Floss, Jamison Monroe, fundador da Academia Newport, que oferece tratamento para adolescentes, sugere criar uma lista de tudo o que você pode fazer nas horas vagas — menos usar o celular.
“Lembre-se de coisas mais importantes e saudáveis que poderia fazer com esse tempo”, disse. “Como caminhar, dançar, se exercitar ou meditar.”

2 - Use a tecnologia a seu favor
Ironicamente, alguns aplicativos podem te ajudar a largar o vício em tecnologia. O Moment, para iOS, diz quantas vezes você acessou o celular por dia; no App Detox, você é avisado quando ultrapassa o tempo pré-determinado para usar a internet; e o Off Time serve para bloquear distrações como games.

3 - Não conte apenas com a força de vontade
Desligar o computador ou deixar o celular bem longe parece simples, mas é preciso mais do que força de vontade para ignorá-los completamente. “É preciso reconhecer que é difícil ‘competirmos’ com esses produtos inovadores das empresas bilionárias”, resumiu David Ryan Polgar, especialista em ética da tecnologia e cofundador da Digital Citizenship Summit. “O melhor é descobrir mais de um caminho para resistir à tentação.”

4 - Desligue tudo antes de dormir
Uma hora antes de dormir, desconecte-se de todos os seus aparelhos. “O brilho das telas interrompe a produção de melatonina, que dá ao cérebro um sinal de que é hora de dormir”, explicou Monroe. “Deixe os dispositivos em outro quarto para evitar a tentação de usá-los.”

5 - Comece aos poucos
David Greenfield, fundador do Centro para Vício em Internet e Tecnologia, em Connecticut, diz que cortar os hábitos de forma brusca não é a melhor saída. Ele sugere começar desligando o celular durante o jantar. Depois de algum tempo, tente deixar o aparelho em casa enquanto sai para caminhar. “Estabeleça seus próprios limites”, sugeriu. “Comece com pequenas mudanças e tente novos progressos com o tempo.”

6 - Desligue notificações
“O smartphone eleva os receptores de dopamina e você continua a acessá-lo a cada toque, porque isso oferece uma espécie de recompensa”, explicou Greenfield. Ao desligar as notificações, as chances de sentir vontade de olhar a tela do celular a cada minuto pode diminuir.

7 - Planeje pequenas pausas
Estabeleça alguns momentos do dia feitos para “pausas tecnológicas”. Entre 15h e 15h30, por exemplo, desligue o celular e deixe-o fora de alcance. “Escolha uma tarefa específica para fazer durante esse tempo”, recomendou Craig Donovan, da Universidade Keane. Tente adicionar várias pausas e inclua as refeições: nesses momentos, aproveite para observar melhor o que acontece ao seu redor.

Siga nossas redes sociais!

Instagram






O Facebook lança na próxima semana seu produto de checagem de notícias no Brasil. Por aqui, o trabalho será feito em parceria com duas agências de checagem, a Aos Fatos e a Agência Lupa. O programa foi lançado nos Estados Unidos no final de 2016 com o objetivo de diminuir a circulação de notícias falsas na rede social.

Na prática, os dois parceiros terão acesso às notícias marcadas como falsas pelos usuários do Facebook—qualquer usuário pode alertar sobre o compartilhamento de conteúdo falso, também conhecidas atualmente como fake news.

O Facebook afirma que, desde o lançamento da iniciativa nos Estados Unidos, houve queda de 80% na distribuição orgânica (ou seja, conteúdo não impulsionado com pagamentos) de notícias consideradas falsas.

“Essa parceria com Aos Fatos e Agência Lupa é mais um passo em nossos esforços para combater a desinformação e melhorar a qualidade das notícias que as pessoas encontram no Facebook”, diz Cláudia Gurfinkel, líder de parcerias com veículos de mídia do Facebook para América Latina, em comunicado.

Conteúdo que seja reconhecido como falso, terá o alcance reduzido. O Facebook ainda enviará notificações para administradores de páginas, e também usuários, que compartilharem o conteúdo. Haverá um aviso de que aquele texto teve sua veracidade questionada.

Outra providência será que os textos não poderão ser impulsionados por meio de pagamentos. Páginas que usarem conteúdo falso para construir uma audiência de forma recorrente serão proibidas de usar anúncios no Facebook.

Além dos EUA, países como Índia, Filipinas e Itália contam com o programa de checagem de conteúdo por meio de parceiros.